Website VS Redes Sociais – Quem ganha?

Nota: este post contém links afiliados

 

De tempos a tempos, acontece o pior: redes sociais em baixo. Realmente, as redes sociais são uma importante ferramenta de trabalho e só a ideia (de estar tudo em baixo) assusta.

 

No entanto, não as podemos controlar e corremos o risco de perder o domínio do nosso próprio negócio, se dependermos só delas.

 

Como podemos, então, contornar isto?

Em primeiro lugar, sai das redes sociais.

Em segundo, cria o teu website.

 

“Mas, como assim? Deixar as redes sociais?”

 

Não. Não é disso que se trata.

 

Até porque as redes sociais são muito importantes para a divulgação dos negócios, em ambiente digital.

 

O que não devemos fazer, é manter uma relação de exclusividade com as redes sociais e deixar que tudo dependa disso. O espaço que ocupamos nas redes sociais é alugado. Não é nosso. E é por isso que temos de estar presentes noutros pontos.

 

Redes Sociais VS Website – o que escolher?

Assim à bruta? Não tens de o fazer.

 

São alternativas que se complementam. Não se substituem.

 

No entanto, só o teu website e a tua base de dados de e-mails te pertencem.

 

Já pensaste que, mesmo com as redes sociais em baixo, continuas a poder enviar um e-mail? A tua webshop ou website continuam a trabalhar para ti. E podes contactar as pessoas via SMS, se necessário.

 

É por isso que a captação de leads (nome fancy para “contactos”) é tão importante.

 

A tua base de dados vale ouro!

 

Website – mas será que vale mesmo a pena?

Portanto, concentremo-nos no que te pertence: o teu website.

 

Só o facto de ser teu, já lhe dá muitos pontos. Mas vamos analisar as vantagens de ter um website, sim?

 

Vantagens de ter um website

 

1. A Credibilidade

Pensa assim: como te sentes quando queres saber mais sobre um produto, e não existe site? Ou quando o site tem um ar estranho? Questionas a legitimidade da marca, certo? Paralelamente, se encontras um site bem estruturado, a confiança é logo outra, não é?

 

2. A Marca

Vai ao encontro da questão anterior, mas chega ainda mais longe. É uma oportunidade para mostrares, com clareza, o que a tua marca representa. Os teus valores, os teus serviços, a personalidade da tua marca, o teu tom de voz, a tua história, tudo!

 

3. A Captação de leads

Leads são contactos. Assim que as pessoas encontram o teu website num motor de busca (como o Google, por exemplo), quando quiserem saber mais, poderão falar contigo através de um formulário de contacto que deixas para o efeito. Ora, e quando preenchem o formulário, o que estão a fazer? A partilhar o nome e o e-mail!

 

Aliás, se quiseres ter um website bem estruturado, vê o que não pode faltar no teu website.

 

“Já ninguém lê e-mails, Bárbara…”

 

De certeza? Já deves ter subscrito algumas newsletters.

 

E, mesmo que te queixes de receber dezenas de e-mails, nalgum momento quiseste receber informações dessas marcas, não foi?

 

A questão é: para que servem os e-mails?

Muitas vezes, queremos saber mais sobre uma marca ou um serviço, mas ainda não estamos preparados para comprar. Vamos recebendo as novidades ou promoções, e decidimos mais tarde.

 

E é então que, chegado o momento da decisão, vamos lembrar-nos da marca que enviou os melhores e-mails. Sim, os mais interessantes e esclarecedores. E não os que só vendem, vendem, vendem…

 

Em suma, as newsletters não servem para chatear, mas para nutrir os contactos com informação relevante. Pode ser para inspirar, educar ou informar. Isto é, existem várias formas de comunicar por e-mail e todas podem funcionar muito bem.

 

Mais uma vez, é uma ferramenta essencial para manteres o contacto com as pessoas e, se tudo falhar, lá está: tens o e-mail.

 

Ainda sobre newsletters, só uma nota: é verdade que usamos plataformas para o envio de e-mails (como o MailerLite ou o MailChimp). Por este motivo, nos sites que crio de raiz, incluo uma função que recolhe a informação de quem preenche o formulário no site. Ou seja, podes extrair os contactos para um sítio seguro (o teu computador, uma pen, um disco, ou a cloud).

 

Em alternativa, sugiro que vás extraindo os contactos da plataforma de e-mail marketing que estás a usar. Assim, poderás guardar os teus contactos numa base de dados segura e só tua.

 

”Não tenho tempo para estar em todo o lado”

 

Nem tu, nem ninguém. Tens toda a razão.

 

A ideia de que temos de criar conteúdo completamente novo é um mito.

 

Podes reciclar conteúdo e utilizá-lo noutras plataformas. Basta, para isso, que mudes o formato. E não tens de inventar a roda.

 

Um post nas redes sociais pode ser transformado num artigo de blog. Ou um webinar pode ser adaptado para um podcast, por exemplo. E porque não escrever um email sobre um assunto que abordaste no Instagram?

 

E então? Percebeste a importância de ter um website?

Concluindo, só tens de preocupar-te com uma coisa: em garantir que controlas o teu negócio. Logo, não podes depender apenas de recursos que não são teus.

 

O que quero dizer é: não se trata de escolher entre redes sociais e website, mas de ter uma relação saudável com os dois.

 

Portanto, se ainda não tens um website, começa já a pensar no teu domínio (o nome do teu site), num bom alojamento e na plataforma que queres usar. Por aqui, é o WordPress.

***

Espero que este artigo te seja útil!

E já sabes: se precisares de ajuda ou estiveres a pensar em ter o teu site, não hesites em contactar-me.

Um beijinho,
Bárbara

Fica a par das novidades

Newsletter

Que tal seres a primeira a receber as novidades sobre Web Design, websites WordPress e empreendedorismo digital?

Este site usa cookies para garantir que obtém a melhor experiência no nosso site.